31/08/2009

Saia do Sofá

Saia do Sofá antes que seja tarde demais. exercite-se!!

video

Equipe Self.run

Precisando de motivação

Avisamos em primeira mão que a partir de 21 de setembro a Self.run iniciará as atividades na capital paulista. Se você está precisando de motivação para treinar, não se preocupe. Estamos chegando

video

Equipe Self.run

27/08/2009

Flexibilidade ótima

Antigamente tinha-se a impressão de que, quanto maior a flexibilidade, maior a performance esportiva do atleta, não importava a modalidade.

Porém esta afirmação não existe mais. Por uma questão de segurança e principalmente economia de energia, trabalhamos com uma flexibidade chamada ótima, ou seja apenas a necessária para aprática de determinada modalidade.

Portanto quem não possui uma flexibilidade monumental, não se preocupe. Ela continua sendo é importante, porém no caso de corredores não precisa ser absurda, apenas ótima para evitar lesões e maximizar os ganhos na modalidade.

Equipe Self.run

Cuidados com muita Flexibilidade

Existem poucas evidências sobre a influência da flexibilidade na redução da incidência de lesões, porém certamente, lesões podem estar relacionadas à muita ou pouca flexibilidade. Em certas ocasiões, o aumento da flexibilidade pode ocasionar um aumento na taxa de lesões. A descompensação antagônica de flexibilidade pode levar a maior incidência de lesão, pois uma grande deformação dos tecidos conjuntivos pode levar em uma irreversível deformação das
articulações, ligamentos e tendões.

Equipe Self.run

20/08/2009

Vídeo: My Better is Better 2

A Nike produziu este vídeo como uma brincadeira de criança: aqueles comparativos que fazíamos com os amigos para provar quem era melhor!

video

Equipe Self.run

Vídeo: Autoconfiança "My Better is Better"

Um dos principais atributos dos vencedores é a autoconfiança. Acreditar em si mesmo, que você é capaz e que vai conseguir é primordial em qualquer esfera de nossas vidas, não só na corrida. Portanto trace os objetivos e alcance-os.

Comercial na Nike "My Better is Better" mostrando a autoconfiança na competitividade.

video

Equipe Self.run

19/08/2009

Paula Radcliffe vence Meia de Nova York

Após quase um ano sem disputar uma prova oficial, a britânica Paula Radcliffe conquista a Meia-maratona de Nova York com quase dois minutos de vantagem para a segunda colocada.

No último domingo, 16 de agosto, foi realizada nos Estados Unidos a quarta edição da Meia-maratona da Cidade de Nova York. A prova, que passou por vários pontos turísticos da metrópole, como o Central Park e o Times Square, teve mais de 10 mil concluintes.Com 1h09min45 a britânica Paula Radcliffe, que não disputava uma prova oficial desde novembro do ano passado, quando venceu a Maratona de Nova York, foi a campeã.

A etíope Mimitu Daska e a queniana Catherine Ndereba completaram o pódio, com 1h11min04s e 1h1156s, respectivamente.O etíope Tadesse Tola foi o campeão, ao completar o percurso de 21 km em 1h01min06s. O marroquino Ridouane Harroufi ficou com a segunda colocação, com a marca de 1h02min32s. Já a esperança norte-americana na prova, Ryan Hall, ficou na terceira colocação, com o tempo de 1h02min35s.

Equipe Self.run

16/08/2009

Vídeo: Pace Training com Paul Tergat

Neste vídeo da Nike, Paul Tergat explica como funciona um treino intervalado fartlek, dando suas próprias dicas.

video

Equipe Self.run

Paul Tergat

Paul Kibii Tergat é um dos maiores fundistas de todos os tempos. Brilhou tanto nas pistas de atletismo, como nas corridas de rua, nos solos de terra e grama das competições cross country.

Tergat é considerado do rei do cross country, sagrando-se pentacampeão mundial entre 1995 a 1999. Ele também brilhou nas ruas tendo a melhor marca na meia-maratona com 59:06, num percurso ligeiramente em descida, e também a marca de 59:17 que é mais reconhecida como "recorde mundial".

Além disso, foi duas vezes medalha de prata nos 10.000m dos Jogos Olímpicos, além de ter sido o recordista mundial de maratona, com 2:04.55, de 2003 a 2007.

O queniano também poderia reinar supremo nas pistas de atletismo não fosse a concorrência de seu grande rival: o etíope Haile Gebreselassie. Paul Tergat também viveu momentos de glória nas pistas, como quando bateu o recorde mundial do 10.000m em 1997 com 26:27.86. Entretanto seu rival o superou alguns meses depois marcando 26:22.75.

No Brasil ele é conhecidpo simplesmente como o maior vencedor de todos os tempos da Corrida de São Silvestre, com nada menos que 5 vitórias, além de ser detentor do recorde da prova: 43m12s.

Equipe Self.run

13/08/2009

Vídeo: Paula Radcliffe Motivation

Paula Radcliffe em campanha do Nike+ dando dicas motivacionais para os amantes da corrida.

video

Equipe Self.run

Paula Radcliffe confirma presença na Meia Maratona de Nova York

De última hora, Paula Radcliffe confirma presença na Meia-Maratona de Nova York e trará um destaque ainda maior para a competição norte-americana.

Os organizadores da Meia-Maratona de Nova York receberam uma grande notícia. Apenas quatro dias antes da prova, que será realizada no próximo domingo (16), a britânica Paula Radcliffe confirmou presença na competição norte-americana.

“A entrada de última hora de Paula acrescenta mais suspense e glamour para a prova, e fará com que tenhamos uma corrida empolgante”, afirmou Mary Wittenberg, presidente da New York Road Runners (NYRR).

Desde novembro fora das competições por causa de diversas lesões, Radcliffe vai usar a competição deste domingo para testar como está seu condicionamento para a maratona do Mundial de Atletismo, que será disputada no dia 23 de agosto, em Berlim.

“Recentemente, comecei a me sentir muito bem nos treinos. Estou pronta para correr uma meia-maratona, e Nova York vai ser importante para sentir como estou”, disse a corredora. “Após a prova, vou consultar minha equipe técnica e médica e saber em que condições irei para Berlim”, completou.

Radcliffe não terá vida fácil na Meia-maratona de Nova York. Na linha de largada da prova, também estarão a bicampeão mundial na maratona, Catherine Ndereba, do Quênia, e a medalha de bronze na Olimpíada de Atenas-2004, Deena Kastor, dos Estados Unidos.

Equipe Self.run

Fonte: www.o2porminuto.uol.com.br

Vídeo: Paula Radcliffe

Video da Britânica Paula Radcliffe que confirmou sua presença na meia-maratona de Nova York, que será realizada no próximo domingo (16/10)

video

Equipe Self.run

Vídeo: Mais um motivo para correr

Vídeo da Nike que foi censurado nos EUA.

video

Equipe Self.run

12/08/2009

Cuidados com a generalização

Atualmente existem muitos estudos na área da saúde sobre performance em determinadas atividades físicas, como a corrida, além de benefícios de determinados alimentos para a saúde.

Porém é importante destacar os cuidados em generalizar determinadas informações. Por exemplo: dizer que o brócolis ajuda a queimar gordura abdominal ou que a casca do maracujá ajuda a diminuir a glicemia, não que dizer que devemos ingerir brócolis desde o café da manhã e nem que vamos comer um maracujá inteiro após uma refeição.

Estas informações podem ser verdadeiras, mas nada substitui uma alimentação balanceada e equilibrada juntamente com exercícios físicos seguidos de uma boa dose de descanso. Este equilíbrio continua sendo o tripé do bem-estar e da qualidade de vida.

Alimentação saudável é aquela que contempla a maior porção de nutrientes necessários ao organismo nas quantidades corretas, e não tentar se beneficiar de uma qualidade específica de algum alimento, mesmo porque tal benefício pode não ser tão visível, como pretendemos.

O mesmo vale para os suplementos nutricionais. A ingestão de Ácido Linoléico (CLA), por exemplo, por si só não garante a perda de gordura localizada. Não adianta nada a ingestão do suplemento sem a prática esportiva e alimentação correta.

Portanto, por mais que possamos tentar encontrar uma fórmula mágica e/ou milagrosa, nada substitui alimentação + atividade física + descanso.

Equipe Self.run

Nutrição: O Colesterol Bom e Ruim

Muito se ouve falar de sobre o colesterol bom e ruim, pouco se explica sobre o seu real significado.

O colesterol é uma substância gordurosa encontrada em todas as células no nosso corpo. Ele é essencial para a formação das membranas celulares, para a síntese dos hormônios esteroidais como a testosterona, estrogênio, cortisol e outros, para a produção da bile, para digestão de alimentos gordurosos, para formação da mielina (uma bainha que cobre os nervos), para metabolização de algumas vitaminas (A, D, E e K) etc...

O colesterol tem 2 origens: a endógena, ou seja, produzido pelo nosso próprio corpo, principalmente pelo fígado, e a exógena, adquirida através dos alimentos.

Como se trata de uma substância gordurosa, ela não se dissolve no sangue. É igual a gotas de óleo na água. Portanto, para viajar através da corrente sanguínea e alcançar os tecidos periféricos, o colesterol precisa de um transportador. Essa função cabe as lipoproteínas que são produzidas no fígado. As principais são:

- VLDL (Very low-density lipoprotein)
- LDL (Low-density lipoprotein)
- HDL ( High-density lipoprotein)

O VLDL transporta triglicerídeos e um pouco de colesterol. O LDL transporta colesterol e um pouco de triglicerídeos. O HDL faz o caminho inverso, tira colesterol dos tecidos e devolve para o fígado que vai excretá-lo nos intestinos.

Elevadas concentrações de VLDL e o LDL estão associados a deposição de gordura na parede dos vasos, levando a formação de placas. Esse processo é chamado de ateroesclerose. Essas placas de gordura diminuem a luz dos vasos. Também causam lesão direta na parede, diminuindo a elasticidade das artérias. Tudo isso favorece a obstrução do fluxo de sangue e do aporte de oxigênio e nutrientes aos tecidos. O resultado final é o infarto, o AVE, a isquemia dos membros etc...

Enquanto que o LDL e o VLDL levam colesterol para as células e facilitam a deposição de gordura nos vasos, o HDL faz o inverso, promove a retirada do excesso de colesterol, inclusive das placas arteriais.

Por isso, denominamos o HDL como colesterol bom, e o VLDL e o LDL como colesterol ruim.

A produção as lipoproteínas são reguladas pelos níveis de colesterol. Colesterol derivado de gorduras saturadas e gordura trans favorecem a produção de LDL enquanto que gordura insaturada encontrada no azeite, peixes, castanhas, promove a produção do HDL.

Há muito tempo deixamos de valorizar o valor do colesterol total ( HDL + LDL + VLDL) e passamos a dar mais atenção aos valores individuais de HDL e LDL.

Então quais são os valores de HLD e LDL normais e quais são perigosos?

LDL
Menor que 100 - Ótimo
Entre 101 e 130 - Normal
Entre 131 e 160 - Normal/alto
Entre 161 e 190 - Alto
Maior que 190 - Muito alto

HDL
Menor que 40 - Baixo (ruim)
Entre 41 e 60 - Normal
Maior que 60 - Alto (ótimo)

Uma dieta rica em gorduras insaturadas e pobres em saturadas está indicada para todas as pessoas. O aumento do colesterol LDL está relacionado a fatores genéticos e alimentares. Uma vez que 75% do colesterol é endógeno e apenas 25% vem da alimentação, algumas pessoas não conseguem normalizar os níveis de LDL apenas com dieta e precisam tomar medicamentos. Exercicios físicos também ajudam a elevar o HDL e diminuir o LDL.

A decisão de quando começar os remédios depende dos valores de LDL e HDL , mas também da presença de outros fatores de risco para doença cardiovascular, nomeadamente:

- Cigarro
- Hipertensão
- Diabetes
- Insuficiência renal crônica
- Obesidade
- Sindrome metabólica
- Idade maior que 45 anos.

Quanto mais fatores de risco você tiver, mais baixo deve ser seu colesterol. Portanto tome cuidado com o que você ingere.

Equipe self.run

Fonte: www.mdsaude.com

10/08/2009

Vídeo: Dencanso - o treino silencioso

Uma das melhores maneiras de treinarmos o descanso é enquanto dormimos. Podemos sonhar que estamos correndo mas os benefícios de uma boa noite de sono (e descanso) podem ser notadas no treino do dia seguinte.


Portanto não se esqueçam: descanso também é uma forma de treinar!


video


Equipe Self.run

A Importância do Descanso no Treinamento

Tão importante quanto a alimentação e os treinamentos, o descanso deve fazer parte da vida de qualquer corredor, seja ele amador ou profissional. Mesmo que a empolgação após uma boa prova ou um treinamento produtivo seja grande, é essencial que o atleta saiba dedicar um tempo entre suas atividades para a regeneração.



A importância do descanso não está só em “poupar” os músculos. Com ele, o atleta ganha em força e velocidade. “O exercício físico é sempre uma agressão ao corpo. Com ele o atleta sofre microlesões e acumula ácido láctico. O repouso permite que o corpo seja realinhado e, assim, há uma supercompensassão, fazendo com que o atleta fique mais forte”, afirma Raul Santo de Oliveira.


Quando falamos em descanso a primeira coisa que vem a mente é não fazer nenhum tipo de esforço físico. Porém, para os especialistas, o repouso ativo pode ser, em alguns casos, até mais produtivo do que a pausa total.“O repouso ativo pode ser feito diminuindo-se a intensidade do treinamento, dando um trote mais leve, até mesmo dentro do treinamento. Uma massagem ou alongamento são bem produtivos para o corredor". “Mas claro que isso depende do nível que o atleta está. Se for um iniciante em corridas, o repouso total é também bem-vindo”.“Eu recomendo que o descanso seja feito um dia sim e um dia não durante o treinamento. Não que o corredor precise parar de correr, mas o ideal é que, depois de um dia com um treino muito puxado, no dia seguinte o corredor diminua um pouco o ritmo, para que o corpo volte a normalidade fisiológica”, completa Oliveira.


Equipe Self.run



Fonte: Revista O2

05/08/2009

Diferenças entre marcha e corrida

Muito se discute os efeitos da caminhada e da corrida, como se fossem as mesmas atividades, somente mudando sua velocidade de execução, mas não é bem assim.

Corrida e caminhada são duas práticas completamente distintas, apesar de serem próximas. A principal diferença está na fase aérea, uma vez que na marcha (caminhada) pelo menos um dos pés está em contato com o chão e na corrida existe um momento da passada em que os 2 pés encontram-se no ar.

Isto provoca uma série de diferenças, tanto na força de propulsão na passada até na angulação do joelho na aterrisagem, elevando muito seu gasto calórico.

Abaixo, algumas diferenças entre a marcha e a corrida:

  • Sem fase de duplo apoio
  • Alteração do contato inicial (calcanhar – médio pé)
  • Diminuição da fase de contato
  • Fase Aérea
  • Angulação de flexão do joelho

Portanto se você caminha com intenção de perder peso ou de beneficiar sua saúde com esta prática e tem condições físicas, prefira correr, pois seus benefícios serão maiores.

Equipe Self.run

Sprint no fim do treino ?

A corrida é considerada uma modalidade esportiva de alto impacto, visto o número de passadas total de um treino. Porém este impacto pode piorar e se tornar uma lesão, um verdadeiro pesadelo entre os corredores.

A musculatura dos membros inferiores é a grande responsável pela absorção do impacto de uma passada na corrida, porém ao final de um treino médio/longo esta musculatura pode encontrar-se fadigada.

E é aí que entra o perigo: com esta musculatura enfraquecida pelo treino, alguns corredores optam por fazer o famoso sprint ao seu final, aumentando o impacto e a propensão a uma lesão tanto muscular como cartilaginosa.

Portanto cuidado: o final do treino não é o melhor momento para se aumentar a velocidade, a não ser que você esteja treinado para tal, ou que seja uma estratégia que irá adotar na prova (mesmo assim com um treino de base anterior). Caso contrário, evite.

Equipe Self.run

03/08/2009

Vídeo: My Best Enemy

Vídeo francês da Nike simbolizando a superação das pessoas que correm por prazer, para superar barreiras, suas próprias barreiras, ou seja, você x você mesmo.

video

Equipe Self.run

O papel do Vo2máx

Em treinamento de corrida muito se fala do Vo2 máx, mas muitas pessoas ainda não sabem seu significado e principalmente sua importância.

Vo2máx trata-se do principal indicador da aptidão cardiorrespiratória, ou seja, é a quantidade de oxigênio que um indivíduo consegue captar do ar atmosférico, absorver nos alvéolos, transportar pelo sistema cardiovascular e utilizar dentro da célula para geração de energia oxidativa por unidade de tempo.

A aplicação prática do Vo2máx consiste em:
  • Fornecer uma medida do dispêndio energético no exercício
  • Indicar a capacidade do organismo em transportar oxigênio e utilizá-lo no exercício
  • Servir como critério de medida da aptidão cardiorrespiratória para comparações inter e intraindivíduos
  • Determinar intensidade de exercício
  • Principal indicador de saúde cardiorrespiratória

Portanto, quanto maior o valor do Vo2máx, melhor a capacidade cariorrespiratória do indivíduo.

Equipe Self.run